Estoque

Saiba como melhorar o fluxo de caixa com a análise de estoque!

agosto 19, 2019
Estoque e Fluxo de Caixa
Tempo de leitura 4 min

Entender como melhorar o fluxo de caixa é essencial para manter as finanças sob controle, monitorando corretamente as entradas e saídas de dinheiro do negócio. Com isso, a empresa consegue organizar seus pagamentos e investir melhor os recursos.

A análise de estoque é uma das ações que ajudam a manter um fluxo saudável, afinal, trata-se do gerenciamento de capital da empresa. Se você está em dúvidas sobre como a estratégia pode ser determinante para o planejamento financeiro, continue lendo e saiba como o seu fluxo de caixa é impactado. Boa leitura!

O que é análise de estoque?

A análise de estoque é um estudo que determina o custo e o lucro das mercadorias estocadas e dos itens que foram vendidos. Ela abrange diversas atividades de organização, como planejamento, compra, venda e controle do fluxo de materiais.

Para empresas que trabalham com a produção ou venda de produtos, é uma prática essencial na rentabilidade do negócio. E mesmo aquelas que não estão inclusas nesse grupo é interessante que realizem esse controle.

Por que o fluxo de caixa pode ser prejudicado por uma análise de estoque inadequada?

Na prática, o estoque parado é um capital que não rende juros nem gera receitas para a empresa – se tornando um capital imobilizado. Como qualquer mau investimento, um estoque inadequado prejudica o fluxo de caixa e a lucratividade. Entendendo o valor total desse capital imobilizado, o gestor consegue tomar as melhores decisões a fim de evitar prejuízos.

Além disso, fica mais fácil manter o controle dos itens, impedindo a defasagem ou mesmo o abarrotamento. Assim, você aplica corretamente os investimentos e evita impactos negativos no fluxo de caixa.

Quais são os principais critérios para avaliação de estoque?

É importante escolher o método de avaliação de estoque para que a análise se mantenha dentro da realidade da empresa e não afete o total de lucro a ser calculado. Existem diferentes critérios de avaliação. Confira quais são os principais.

Preço Médio Ponderado

O Preço Médio Ponderado é um critério aceito pelo Fisco e bastante utilizado por muitas empresas. Aqui, são considerados os custos médios dos produtos, calculado pela somatória dos custos efetivos individuais dividido pela quantidade total dos itens no estoque.

Preço Específico

Esse critério é utilizado quando é possível calcular o valor exato de cada mercadoria no estoque. O cálculo é feito somando todos os custos que formam os itens existentes. Não é um método tão comum, sendo mais aplicado em setores de bens comerciais como imóveis e veículos.

PEPS

PEPS é a sigla para a expressão Primeiro que Entra, Primeiro que Sai. Os custos dos lotes antigos são avaliados separados dos lotes mais recentes. O preço de venda é ajustado sempre pelo custo do lote mais antigo. Só depois da finalização das mercadorias antigas é que se parte para o lote mais novo.

UEPS

UEPS, Último a Entrar é o Primeiro a Sair. É exatamente o inverso do método anterior, sendo que o valor será calculado pelo custo das últimas mercadorias adquiridas. Pode ser utilizado para uma finalidade gerencial, mas não é aceito rela Receita Federal.

Como implementá-lo na sua empresa?

Para implementar o método de análise de estoque corretamente, é preciso considerar o nicho de atuação e a realidade da sua empresa, assim como o destino final do estudo. Por exemplo, para a Receita Federal, o PEPS é o critério de avaliação aceito, pois é aquele que apresenta melhor resultado e oferece melhor arrecadação para o órgão.

É importante também avaliar fatores relacionados ao macroambiente, como a inflação ou variação cambial, por exemplo, pois são determinantes na escolha do melhor método – os preços dos produtos podem variar em razão desses fatores.

Manter o estoque bem controlado é uma das formas de melhorar o fluxo de caixa de uma empresa, pois permite saber exatamente o que comprar e quando fazê-lo para suprir o seu contingente de mercadorias. Se não há exageros nem desperdícios, o caixa financeiro ficará dentro dos resultados esperados. Mas, a grande questão é: você sabe desenvolver uma gestão de estoque eficiente?

Gostou deste post sobre como melhorar o fluxo de caixa? Para ajudar, confira o nosso artigo com as 5 melhores práticas para uma gestão de estoque diferenciada.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up