RFID

RFID: entenda a importância dessa tecnologia!

outubro 14, 2018
Tempo de leitura 3 min

As empresas que começaram a se transformar digitalmente estão adotando tecnologias eficientes em seus processos de gestão. O RFID é um exemplo dessas inovações e vem sendo amplamente usado nos setores de logística e estoque das empresas. Seu uso proporciona benefícios para os empreendimentos e é um grande diferencial para aqueles que buscam excelência no mercado.

Pensando nisso, falaremos, neste post, sobre o que é o RFID, como ele funciona e daremos alguns exemplos de aplicações reais de seu uso em controle patrimonial e gestão de ativos. Ficou interessado? Então continue com a leitura e confira nosso post até o final!

Saiba o que é RFID e como ele funciona

O termo é o acrônimo para Radio-frequency identification — ou identificador de radiofrequência, em português. Ele é responsável por identificar automaticamente pessoas, animais ou objetos que tenham uma etiqueta RFID composta por um dispositivo de comunicação, chamado de transponder, que é capaz de reagir a um sinal de uma antena.

A antena é o que faz a leitura das etiquetas e transmite suas informações para um software de gestão, sendo capaz de fazer leituras simultâneas, permitindo velocidade aos processos de controle de estoque, por exemplo.

Essa tecnologia é uma alternativa aos códigos de barra, pois pode ser identificado com mais facilidade utilizando um aparelho de curta distância.

Conheça 4 aplicações do RFID no controle patrimonial e gestão de ativos

O RFID pode ser usado em uma infinidade de situações, como lista o site RFID Insider. Falaremos, aqui, de quatro aplicações que tem tudo a ver com controle e gestão. Veja!

1. Logística e cadeia de suplementos

O RFID garante controle e qualidade para toda a logística e cadeia de insumos. Os processos de manufatura, transporte e distribuição de produtos podem ser mais facilmente controlados com verificação em massa usando uma antena de radiofrequência. Dessa forma, a gestão de ativos fica ainda mais organizada.

2. Localização de itens e inventários

Alguns estoques sofrem com o problema de organização, dificultando a realização de inventários e controle patrimonial. O uso de antenas de radiofrequência para localizar itens no estoque ao mesmo tempo que ele é adicionado ao inventário, por exemplo, é uma funcionalidade indispensável para quem deseja ter agilidade e precisão nas vendas.

3. Gerenciamento de materiais

Alguns setores, como os industriais, por exemplo, precisam fazer um gerenciamento dos materiais usados na confecção de produtos manufaturados. Contudo, muitas vezes, a administração precisa desses itens se torna inviável devido à alta quantidade de insumos. No entanto, esse problema pode ser resolvido usando o RFID como forma de gestão desse tipo de estoque.

4. Localização em tempo real

O RFID pode ser usado para localização em tempo real de colaboradores, ativos ou clientes, permitindo o controle em diferentes setores que necessitam dessa informação, sem comprometer o planejamento e a gestão dos bens. Além disso, o seu sistema traz uma segurança extra para situações delicadas, como furtos e extravios de mercadorias.

O RFID, apesar de seus inúmeros benefícios, necessita de conhecimento técnico antes de ser implementado. É preciso fazer uma avaliação de viabilidade e contar com uma consultoria para a utilização correta da tecnologia — somente assim ele terá o retorno esperado.

Gostou do nosso conteúdo sobre RFID? Então não deixe de assinar a nossa newsletter para receber nossos conteúdos diretamente em seu e-mail.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up