Ativo Imobilizado

Entenda como economizar com o controle do ativo imobilizado

maio 7, 2019

O controle do ativo imobilizado — conjunto de bens utilizados para a manutenção das atividades de uma organização e apresentados de forma tangível — é essencial, pois permite a correta análise dos recursos e o gerenciamento dos investimentos do negócio. Os custos de aquisição de bens para operação e em benfeitorias também entram nesse conceito.

Por isso, para que sua empresa não corra o risco de tomar prejuízo com fatores tão importantes, apresentaremos, em seguida, algumas ótimas dicas de como economizar com o controle do ativo imobilizado na empresa. Continue lendo e saiba mais!

Recuperação de impostos

Dependendo do tipo de utilização dos ativos imobilizados, a empresa tem direito à recuperação de valores em alguns impostos. Para não perder dinheiro, é importante conhecer a legislação vigente e detalhar caso a caso. Por exemplo, no PIS/COFINS, você pode recuperar créditos tributários se os ativos imobilizados estiverem como parte do sistema de locação a terceiros ou se forem empregados no processo produtivo do negócio.

Já com o ICMS, o processo é um pouco diferente: a empresa deve escriturar os ativos junto ao Controle de Crédito de ICMS de Ativo Imobilizado (CIAP).

Seguindo as recomendações corretas, você pode economizar e até mesmo melhorar os resultados do seu negócio.

Diminuição das perdas por extravio

Infelizmente, mesmo sendo bens importantes e, na grande maioria, de alto valor aquisitivo, os ativos imobilizados também são alvos de furtos e extravios. E a cada situação negativa, o prejuízo para a empresa pode ser consideravelmente alto.

Para evitar esse cenário, é importante que o gestor implante uma política de controle de bens — sendo essencial o envolvimento de todos os funcionários para o sucesso da estratégia. E não deve se limitar a isso. Mecanismos de segurança também podem ser implementados para localização e rastreio dos objetos, como a tecnologia RFID ou etiquetas inteligentes.

Assim, sua empresa diminui a taxa de extravios e, naturalmente, aumenta os lucros do negócio.

Classificação correta dos bens no balanço patrimonial

Outro equívoco comum, e que acaba resultando em um prejuízo em longo prazo, é a classificação incorreta dos bens da empresa. É importante saber qual a conta contábil para alocação dos bens para garantir a correta taxa de depreciação. As contas mais comuns são:

  • máquinas e equipamentos;
  • móveis e utensílios;
  • equipamentos de informática;
  • edificações e benfeitoria;
  • veículos.

Esses itens são aqueles utilizados na geração das atividades da empresa. Todavia, caso algum deles seja direcionado para a venda, deverá ser reclassificado contabilmente para uma conta de bens mantidos para venda, conforme o pronunciamento contábil CPC 31.

Exemplo: caso um escritório tenha 8 computadores para a execução da rotina diária, esses bens entram como ativo imobilizado. No entanto, depois de algum tempo, chega-se à conclusão de que é preciso renovar as ferramentas do local e os computadores são colocados à venda. Assim que houver um possível comprador, esse bem deixará de ser um ativo imobilizado, pois sairá da sua operação.

Conhecimento da legislação pertinente

Como enfatizado anteriormente, a melhor maneira para não tomar prejuízos com o gerenciamento dos ativos imobilizados é conhecer previamente a legislação pertinente sobre o assunto.

No Brasil, o CPC 27 corresponde ao pronunciamento contábil do ativo imobilizado. Essa lei, por sua vez, é uma interpretação direta da IAS 16. O CFC também publicou a resolução NBC TG 27. É nessas normas que a sua empresa deve se basear para entender os procedimentos a serem aplicados na contabilidade do ativo imobilizado.

Enfim, em um mercado no qual os investimentos para a melhoria dos serviços e do atendimento ao cliente são cada vez mais necessários, gerenciar o controle do ativo imobilizado é uma ótima estratégia para assegurar recursos para sua empresa. Para melhorar os resultados, conte com uma consultoria patrimonial especializada e garanta um retorno satisfatório sobre os seus bens.

Agora que você já entendeu a importância da gestão do ativo imobilizado, que tal saber como funciona uma consultoria patrimonial?

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up