Ativos Intangíveis, Contabilidade

Faça a avaliação de bens intangíveis de modo adequado!

maio 15, 2019

Com a transformação digital, impulsionada principalmente pelas tecnologias de internet e de aplicações móveis, novas classes de ativos intangíveis estão surgindo. Esse fator tem contribuído para o aumento da complexidade na contabilização, levando alguns patrimônios a passarem despercebidos. Por isso fizemos este post. Queremos ajudar você a implementar uma avaliação de bens intangíveis mais eficiente no negócio.

Então, confira a partir de agora quais ativos são enquadrados nessa categoria, por que sua correta avaliação é importante e como realizar o processo adequadamente!

O que são bens intangíveis?

Bens intangíveis são ativos imateriais, ou seja, que não podem ser tocados, mas que entregam valor econômico, podendo contribuir para uma melhoria operacional ou para a geração de renda em uma empresa. Entre os ativos intangíveis, podemos destacar os direitos sobre patentes, marcas, concessões, créditos financeiros, bancos de dados recheados de informações com alto valor estratégico, softwares etc.

Por que a avaliação de bens intangíveis é tão importante?

Quando os gestores avaliam melhor os bens não físicos, conseguem determinar com maior precisão o valor de mercado que a empresa tem, além de fazer uma projeção dos custos e receitas geradas com ele.

Isso é um facilitador na hora de negociar a venda parcial ou integral, de realizar a incorporação de novos sócios, para entrar num projeto de abertura de capital (disponibilizar a negociação de ações na bolsa de valores), de conseguir crédito para o financiamento de expansão e para a gestão patrimonial como um todo.

Como fazer a avaliação de bens intangíveis corretamente?

Agora que você já sabe o que é e por que deve considerar, de modo abrangente, os bens intangíveis em suas avaliações contábeis, descubra as melhores formas de fazê-la!

Meça o valor de mercado

Esse valor é encontrado com base na lei da oferta e demanda, determinada pelo mercado. Ou seja, é quanto as outras pessoas e empresas estão dispostas a pagar pelo ativo em uma negociação de compra e venda no momento atual. Como diversas variáveis influenciam em mudanças constantes nesse valor, sugere-se que seja avaliado ao menos uma vez ao ano.

Considere a receita gerada

Muitos bens intangíveis são incorporados ao negócio pela capacidade que têm de gerar receitas ou de abrir caminho para isso. Na avaliação, essa capacidade deve ser mensurada, já que pode influenciar diretamente no valor de mercado.

O processo envolve, primeiro, o reconhecimento da receita que o bem em questão gera em determinado período. Depois, é feita uma projeção futura, considerando o tempo de vida útil econômica esperado, determinado pelo período de amortização, para se observar quanto o bem pode entregar de produção e renda no período.

Mapeie os custos e despesas

Assim como a renda, os custos também devem ser avaliados. Nesse caso, você deve considerar o custo de investimento (valor de aquisição) do bem, além de outros relacionados, como despesas com manutenções, atualizações e pagamentos de royalties (direito de uso).

A avaliação de bens intangíveis é importante para a empresa e pode exigir processos mais aprimorados. Por isso, o recomendável é que busque o apoio de um especialista na área. Assim, evitam-se erros de mensuração e melhora-se a avaliação dos aspectos financeiros envolvidos.

Gostou das dicas? Curta a nossa página no Facebook agora mesmo e fique por dentro de outras informações relevantes sobre o tema!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up