Ativo Imobilizado, Gestão e Administração

Ressalvas na auditoria dos ativos? Conheça 3 pontos que merecem a sua atenção.

março 20, 2020
Tempo de leitura 2 min

A auditoria dos ativos é sempre um grande desafio para algumas empresas, principalmente após a publicação da Lei 11.638/07 onde o controle do ativo imobilizado passou a ter mais importância nas empresas. Dessa forma, passar pelos processos de auditoria de ativos sem ressalvas pode evitar grandes prejuízos econômicos para as empresas e é um grande desafio para os gestores patrimoniais.

Pensando em ajudá-lo a evitar os principais erros cometidos nesse processo, trouxemos 3 principais aspectos que merecem a sua atenção.

1. O inventário de ativos ou a sua revisão

  • Certifique-se de que os ativos registrados no imobilizado existem fisicamente e continuam trazendo benefícios para a empresa.
  • Mantenha controles com registros individualizados dos ativos
  • Defina um número de controle para cada ativo registrado na base contábil e garanta que esta identificação exista fisicamente nos bens
  • Monitore as movimentações do imobilizado, como aquisições e baixas, contabilizando corretamente os eventos
  • Realize inventários periódicos.
  • Implante normas e procedimentos de gestão de ativos na empresa

2. A correta taxa depreciação

  • Se ainda utiliza a taxa fiscal para depreciação, garanta que está de acordo com a regulamentação do imposto de renda
  • Para a taxa de depreciação contábil, determine a vida útil do ativo pela expectativa de uso ou capacidade de produção
  • Utilize informações do mercado e similaridade de ativos, mas sempre considerando as particularidades de operação do seu negócio.
  • Revise anualmente se a vida útil e taxas de depreciação utilizadas representam a realidade de seu negócio
  • Tenha procedimentos para determinação das vidas úteis baseadas em laudos que tenham as premissas e metodologias utilizadas e validem as taxas utilizadas

3. Recuperabilidade dos ativos (IMPAIRMENT TEST)

  • Teste a recuperabilidade de seus ativos para assegurar que o valor contábil de seus ativos não exceda o valor justo.
  • Crie procedimentos para verificar se existe alguma evidência de que os ativos da entidade possam ter sofrido alguma perda de valor.
  • Monitore os eventos internos e externos que podem gerar indícios de desvalorização.
  • Revise os testes de recuperabilidade a cada exercício.
  • Utilize as metodologias aceitas conforme CPC e NBC.
  • Em casos de constatação de desvalorização dos ativos, contabilize corretamente as perdas.

Se a sua empresa lida com constantes pontos de auditoria a serem revistos, talvez esteja na hora de olhar com mais atenção para a gestão dos seus ativos e evitar mais prejuízos no futuro.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up